BOMBA! Governo mineiro obriga o Atlético-MG a alterar hino oficial do clube

Kalil chora ao comentar o assunto.  (FOTO: Gargamel)

Kalil chora ao comentar o assunto.
(FOTO: Gargamel)

Aí o atleticano pergunta: quando as piadas vão parar? Nunca. Depois da derrota para o Raja Casablanca, o Atlético-MG não só perdeu sua pouca moral, como um trecho do hino oficial. O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, representado pelo advogado do Fluzão, Mario Bittencort, entrou com recurso contra clube visando a alteração da letra do hino. O argumento é que o trecho “honramos o nome de Minas no cenário esportivo mundial” não condiz com a realidade. Indiscutível.

Os problemas não param por aí. O governador mineiro, visando preservar a imagem do Estado, entrou em contato com o presidente do Galo, Alexandre Kalil, e exigiu que o clube retire o “MG” do nome Atlético-MG em competições internacionais: “Todos vão dizer: ‘Olha lá o mineirinho fazendo papelão, olha o torcedor mineiro chorando. Olha lá o mineiro passando vergonha’. Não posso permitir isso, porque uma coisa é denegrir a nossa imagem no Brasil, fato que já acontece há mais de um século, outra coisa é expor o Estado para o mundo inteiro”, disse.

Sem argumentos para enfrentar a questão, Alexandre Kalil disse que concorda com as decisões: “Vou dizer que eles não têm razão? Eu estaria mentindo. Portanto, não vamos usar o ‘MG’ durante as competições internacionais, porque entendemos que Minas Gerais é maior que tudo isso. Sobre o hino, vamos incluir um trecho sobre a nossa primeira viagem longa, que foi esta a Marrocos e substituiremos aquele trecho mentiroso”, disse.

O Atlético-MG deixoou de ser conhecido na Europa como “time do Ronaldinho”. Agora, é chamado de “time que perdeu para o Raja Casablanca”.

Colaboração: Luiz Nogueira